“Eu compartilho. Portanto eu existo.”

Faz umas três semanas que meu celular inteligente pifou. Simplesmente começou a esquentar a ponto de reiniciar sozinho e eu não conseguir mais usá-lo. Segundo pesquisei, isso é bem comum em modelos da Samsung, principalmente no Galaxy Ace, o que eu possuo. De qualquer modo, não é esse o tema desse post. Depois desse ocorrido percebi o quanto nos tornamos dependentes das conexões. Hoje em dia é praticamente impossível não ver alguém olhando absorto pra telinha do celular, seja curtindo fotos no Instagram, conversando pelo WhatsApp ou simplesmente vendo as atualizações dos amigos no Facebook.
As redes sociais se tornaram uma espécie de antídoto para um dos maiores medos que todos temos: a solidão.
Porém, o mais irônico de tudo isso, é perceber que quanto mais viciamos nelas, mais solitários ficamos e cada vez mais sentimos a necessidade de curtir/compartilhar nossas vidas, ficando presos nesse círculo vicioso. O vídeo abaixo faz exatamente essa reflexão. Ele foi feito por Shimi Cohen em seu projeto final na Shenkar College of Engineering and Design.

Incrível o vídeo, né? Já falei um pouco sobre solidão aqui no blog, e relendo o post percebi o quanto essas palavras se aplicam não só para a vida social, mas também pra a vida virtual. Por isso, termino o post de hoje lançando um desafio: que tal passar um dia desconectado? Já consegui algumas vezes, e admito que com a prática se torna mais fácil. Portanto, desconecte-se e vá curtir a companhia de alguém, nem que esse alguém seja você mesmo.

Bom final de semana para todos! =)

Post Author
Ianarã Bernardino
Ataco de Diretor Criativo, Designer & DJ. Também ataco de astrólogo (pros amigos) e de master chef (quando tô de bom humor). :)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *