Médicos de Instagram

Hoje, olhando o Instagram, me deparo com a seguinte imagem postada pelo perfil da Nana Rude:

O que mais me incomodou foi a associação magreza = transtorno alimentar, além do fato de se formar uma verdadeira patrulha só pra comentar o braço da blogueira Lalá Noleto. Ok, a moça está bastante magra, mas pra quê tanto auê? Porque a magreza alheia incomoda tanto? O ângulo da foto ajudou a deixar o braço dela mais fino, aqui tem fotos em outros ângulos.
Entendam: não estou aqui para ser a favor ou contra a blogueira, nem muito menos pra ser a favor ou contra transtornos alimentares, mas acho muito perigosa essa associação. É até um desrespeito com as pessoas que realmente enfrentam (ou enfrentaram) esse tipo de problema e que sabem que nem sempre estar magro é sinônimo de transtorno alimentar. Será que não estamos julgando rápido demais o livro pela capa? Aconteceu caso semelhante com a modelo Izabel Goulart, brilhantemente comentado pela Julia Petit. Transcrevo aqui um pedaço do texto dela que expressa exatamente minha opinião:

(…) Até quando as pessoas vão se achar no direito de diagnosticar distúrbios alimentares através de uma foto?? Se o intuito é ajudar uma pessoa que, hipotéticamente, tem uma doença, fazer bullying só piora a situação. Tipo: dizer que gordo é gordo porque é preguiçoso e sem vergonha, sabe? Não gosta da mensagem que um corpo assim passa? Não curtam, não sigam e se quiserem falar alguma coisa, pensem que a pessoa pode realmente ter algum problema (…)

Fica a dica: pensem muito bem antes de sair apontando o dedo e tirando conclusões sobre algo de que não se tem conhecimento.
Post Author
Ianarã Bernardino
Ataco de Diretor Criativo, Designer & DJ. Também ataco de astrólogo (pros amigos) e de master chef (quando tô de bom humor). :)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *