Sobre elogios, turbantes e Meninas Malvadas

Há um tempo atrás, em um evento de moda, uma amiga estava lindíssima usando um turbante. Elogiei, e ela disse-me que a vontade dela era ter usado um maior, porém desistiu com medo dos comentários e olhares das pessoas. Ok, compreendo, eu também moro em Natal e sei muito bem como é. Porém, minutos depois, passa uma menina usando uma calça rosa e a amiga em questão faz um comentário ácido sobre ela. Desconversei na hora, mas isso me fez pensar bastante. Se esse é um hábito incômodo então porque fazer a mesma coisa? 

Erykah-Badu-Givenchy
Erykah Badu de turbante em fotos para a campanha de Verão 2014 da Givenchy

O que eu mais vejo são pessoas que deixam de usar certas coisas com medo do julgamento alheio, porém são essas mesmas as primeiras a apontar o dedo para quem tem coragem o suficiente para ousar. Geralmente, quando o fazem, justificam-se com um sonoro “se eu não fizer, vão fazer comigo”. Deixando o vitimismo de lado, ao pensar desse modo estaremos todos presos nesse ciclo de risinhos, apontar o dedo e falar mal da coleguinha de saia curta ou do coleguinha de calça skinny.  Ai eu pergunto: como mudar uma ação se você é o primeiro a reforçá-la?
Sabe aquela frase clássica: não faça com os outros o que você não quer que façam com você? O princípio é o mesmo. Antes de fazer piadinhas com o jeito de se vestir ou de se portar alheio, pense se gostaria de ser o alvo daquele comentário. Empatia, sabe como? Creio que todos nós somos capazes de quebrar esse ciclo e treinar o olhar para ver somente as coisas boas dos outros, seja o sorriso, o sapato, a camiseta ou a personalidade da outra pessoa. O importante mesmo é ser honesto, e não um figurante de Meninas Malvadas

Sua maquiagem parece muito legal, nem dá para notar os seus problemas de pele.

Talvez seu elogio deixe a outra pessoa muito mais feliz, tanto que ela acabe percebendo algo interessante e elogiando um colega de trabalho, e assim um ciclo muito mais positivo vai se formando. Entenderam como funciona? Pisar na autoestima das pessoas não vai fazer com que a sua aumente nem um pouquinho #dica. Acredito em (e luto por) um mundo onde você pode ser quem quiser e vestir o que quiser sem precisar ouvir chacotas e nem arrancar olhares julgadores por ai. E então, já fez um elogio hoje?
Imagens: Reprodução 
Post Author
Ianarã Bernardino
Ataco de Diretor Criativo, Designer & DJ. Também ataco de astrólogo (pros amigos) e de master chef (quando tô de bom humor). :)

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *