4 livros que mudaram minha vida

Fazia tempo que eu não postava um tema proposto pelo Rotaroots aqui no blog, não é mesmo? E esse me chamou bastante a atenção pelo simples fato de eu ser fissurado em leitura desde muito novo. Inclusive foi bastante difícil escolher somente quatro livros, por isso o único critério que usei foi a minha memória, ou seja, fui lembrando e escrevendo aqui. Ah, e durante o post vocês vão ver que desenvolvi algumas manias bem estranhas durante esses quase vinte anos de leituras.  

O Retrato de Dorian Gray – Oscar Wilde

A história do jovem Dorian Gray, que deseja ardentemente que seu retrato envelheça e sofra as consequências de sua vida hedonista em seu lugar, foi escrita como uma história periódica em um jornal britânico no final do século XIX. E, mesmo sofrendo censura por parte dos editores do jornal, ela ainda causou furor na época, sendo acusada de ferir a moralidade pública.
Esse foi o primeiro livro que li do Oscar Wilde e um dos motivos pelos quais eu fiquei obcecado pelo autor. Depois desse, li quase tudo que ele escreveu, além de ter me apaixonado pela biografia dele. Preciso, inclusive, comprar uma nova edição, pois emprestei a minha e nunca mais me devolveram. Tenho mania de, quando um livro tem várias edições, escolher o livro pela capa mais bonita, afinal será parte da minha coleção, né?

A Invenção da Moda – Massimo Baldini

Esse livro é o mais teórico da lista. Ele traça a complexa teia de causas que deram origem e ajudaram na difusão da moda, dentre as quais estão o aparecimento de uma sociedade aberta, o cosmopolitismo e uma nova atitude mental que privilegia o gosto pelo que é novo.
Foi o primeiro livro sério sobre moda que eu li que me fez ter certeza de que moda vai muito além de glamour, passarelas e editoriais. A partir dessa leitura, também, que eu tive certeza que eu queria trabalhar nessa área. Esse é um daqueles livros que eu recomendo pra todo mundo mas não empresto pra ninguém, hahaha.

Pedras de Calcutá – Caio Fernando Abreu

Terceira coletânea de contos de Caio Fernando Abreu publicada em 1977 e que, segundo o próprio, trata-se quase que totalmente de um “livro de horror”. Escrito para a geração que cresceu amordaçada pela repressão política, os textos tratam de temas como solidão, amor, hesitação, paranoia e sensação de estar à margem. Sábia e dolorosamente, Caio mostra que viver é sofrer da vida.
Dos livros de contos que eu já li (e não foram poucos) esse me marcou por dois motivos: foi um dos poucos desse formato que eu li e gostei de praticamente todos os contos e é nele que se encontra o meu conto preferido da vida. Também tornou-se importante porque, dos livros do Caio que eu já li, esse é o que eu considero o melhor. 

Bubble Gum – Lolita Pille 

Segundo romance da escritora francesa Lolita Pille, foi publicado em 2004. Trás como principais personagens Manon, uma jovem provinciana, bonita e entediada, que vai tentar a vida como modelo em Paris e Derek Delano, jovem herdeiro de uma multinacional do petróleo e cujo maior prazer é comprar e manipular as pessoas. Quando eles se encontram, ele vê nela a possibilidade de corrompê-la, de fazer dela o seu maior e mais perfeito jogo de destruição.  
Toda vez que alguém me pergunta sobre um livro pra ler esse é um dos primeiros que eu lembro. Como já disse antes, talvez eu seja meio Manon. Se você quiser saber mais, já escrevi bastante sobre essa publicação aqui no blog

Imagens: Reprodução

Post Author
Ianarã Bernardino
Apaixonado por moda, música e tudo que é novo e interessante. Diretor Criativo, Stylist, & Designer.

Comments 1

  1. lilian alipio
    abr 19, 2015 Reply

    sempre que vejo a capa de bubble gum penso se vale ou não ler,mas agora vou ler sim.
    O retrato de dorian gray esta na minha lista,vou ler também assim que for possível.
    http://blogradioactive.blogspot.com.br/

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *